Como surgiu a Campanha da Mãe Peregrina de Schoenstatt

10 de setembro de 2021 às 2:30 PM

 

A história da Campanha que surgiu no Brasil e hoje está presente nos cinco continentes

 

Em 1950, o Sr. João Luiz Pozzobon, dono de um pequeno comércio, pai de sete filhos e católico fervoroso, participa de um grupo de homens, no início do Movimento Apostólico de Schoenstatt, em Santa Maria/RS (1947). Recebe a formação schoenstattiana sob a orientação do Pe. Celestino Trevisan e assim pode não só conhecer a espiritualidade de Schoenstatt, mas vivê-la em profundidade. No dia 10 de setembro de 1950, é convidado pela Ir. M. Teresinha Gobbo, do Instituto Secular das Irmãs de Maria de Schoenstatt – que também dava formação schoenstattiana, especialmente aos ramos femininos e às famílias do Movimento – a levar a Imagem da Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt para visitar as famílias. Ir. M. Teresinha entrega-lhe a Imagem, que foi abençoada no Santuário, com as palavras: “Esta Imagem ficará sob seu cuidado. Não é preciso que reze o terço todas as noites. Apenas deverá cuidar que peregrine de casa em casa”.

 

 

Sr. João aceita esse convite e decide, por livre iniciativa, rezar o terço e levar a imagem de casa em casa todos os dias, sem descanso. Assume a tarefa e exerce esse apostolado durante 35 anos, até a data de seu falecimento, em 27 de junho de 1985. Com a imagem da Mãe sobre os ombros, João percorre mais de 140.000 quilômetros. Em todos esses anos, não deixa um dia sequer de praticar esse apostolado.

 

As imagens menores, que hoje visitam as famílias

A partir de 1959, a presença de Maria multiplica-se por meio das pequenas Imagens da Mãe Peregrina, na forma atual, que visitam mensalmente as famílias. Atualmente, a Campanha da Mãe Peregrina atinge as paróquias e dioceses, as escolas e hospitais, os presídios e comércios. Sua estrutura diocesana permite uma inserção plena à realidade de cada paróquia e diocese. Ela se estende a todos os Estados do Brasil, em muitas dioceses, paróquias e cidades do país.

 

Seguindo os passos de João Pozzobon, hoje existem milhares de coordenadores e missionários a conduzirem essa Campanha, a exercerem esse apostolado, como verdadeiros missionários, numa autêntica campanha de evangelização integrada aos objetivos e projetos de suas dioceses e da CNBB.

 

 

 

Ampliação Mundial da Campanha da Mãe Peregrina

A partir da visita do Diácono Pozzobon, com sua “Peregrina Original”, em 1979, ao lugar de Fundação da Obra de Schoenstatt, na Alemanha e em Roma, a Campanha da Mãe Peregrina de Schoenstatt toma uma dimensão internacional.

 

Hoje, esse método de apostolado, com a Mãe Peregrina de Schoenstatt, propagou-se e é assumido por mais de 90 países dos cinco continentes. É uma Campanha de nível internacional, em comunhão com bispos, párocos e leigos.

 

 

 

Apoiado e abençoado pelo Fundador de Schoenstatt

Referindo-se a essa Campanha, o Pe. José Kentenich, de quem o Sr. João se considerava um ‘aluninho’ – após abençoar essa iniciativa – assim a classifica:

 

“A Campanha demonstra como são verdadeiras as palavras de São Vicente Pallotti sobre Maria Santíssima: ‘Ela é a grande Missionária; Ela opera milagres de graças’. Trata-se de um autêntico método moderno de Pastoral”.

 

Diversas modalidades

A Campanha da Mãe Peregrina atende as seguintes modalidades no Brasil:

Mãe Peregrina das Famílias
Mãe Peregrina dos Enfermos
Mãe Peregrina dos Deficientes Visuais
Mãe Peregrina Infanto-Juvenil
Mãe Peregrina das Escolas
Mãe Peregrina da Catequese
Mãe Peregrina dos Presídios
Mãe Peregrina do Comércio
Mãe Peregrina da Juventude

 

Para mais informações, visite os sites:

Região Sudeste e Paraná: maeperegrina.org.br

Regional Sul e Nordeste: santuariotabor.org.br

 

Fonte: schoenstatt.org.br

Compartilhe

© 2021 Schoenstatt. Todos Direitos Reservados

Weblite