Liga Feminina realiza um Terço Jubilar Nacional

22 de julho de 2021 às 4:53 PM

 

Terço Jubilar: À Luz do Tabor, contemplar com Maria as maravilhas que encerram a vida e a história dos 50 anos da Lafs Brasil

 

Equipe de Comunicação Lafs – Iniciando as festividades de seus 50 anos, a Liga Apostólica Feminina de Schoenstatt do Brasil se reuniu na noite de sábado, dia 17 de julho, para oração do terço. Cada mistério rezado trazia a reflexão sobre uma década de história do ramo no Brasil.

 

O primeiro mistério foi conduzido por Lídia Maria Gonçalves, Luiza Maria da Costa e Joana Teixeira, em Londrina/PR, refletindo o início da Liga Feminina e sua extensão pelo país. “Em 18 de julho 1971 foi oficializada a LAFS no Brasil. Participaram do I Encontro da Lafs, em Londrina/PR, as representantes de Curitiba/PR: Anna Becker; Londrina/PR: Irene Holzmann e Marina Zuleika Scalassara; Santa Maria/RS: Julieta Zamberlan; e de Caçapava do Sul/RS: Odete Dalmaso. Porém, vale ressaltar que antes da fundação oficial, existiam grupos em Santa Maria/RS, Londrina/PR e em São Paulo (Vila Mariana)”, recordaram.

 

Já o segundo mistério ficou sob a responsabilidade das liguistas Valquiria Tronco e Realda Righi, de Santa Maria/RS, que destacaram as ações do ramo no período de 1980 a 1990. Maria do Carmo Oliveira e Maria Cecília Oliveira, da Lafs da Vila Mariana/SP, fizeram a reflexão sobre o terceiro mistério, seguidas por Edineide de Souza Franco e Mayelle da Silva Tenório, da Lafs Nordeste, que conduziram o quarto mistério e Angélica Hass Zanoni e Josiane dos Anjos Marques, de Guarapuava/PR, que encerraram a oração.

 

Mayelle da Silva Tenório, de Olinda/PE, comenta: “O terço é mais que uma oração, para mim ele é uma biografia. A prática de contemplar os mistérios luminosos, de mãos dadas com a Mãe de Deus, nos ajudou a ter a certeza de que, em breve, essa pandemia acabará e poderemos voltar a sentir Jesus no abraço dos nossos irmãos. Investimos nossa fé na Mãe, na certeza que ela embrulhou nossos pedidos e levou ao Pai”.

 

Ao final do terço, as liguistas recordaram a gratidão pelas graças recebidas ao longo desses anos e também o compromisso pelos tempos vindouros: “Contigo Rainha, queremos guardar a herança, sendo Maria, caminhando na benção e condução de nosso Pai e Fundador. Unidas como Ramo, protagonistas neste tempo, testemunhamos pela própria vida, nosso compromisso de ser heroínas da nova geração”, rezaram.

fonte: schoenstatt.org.br

Compartilhe

© 2021 Schoenstatt. Todos Direitos Reservados

Weblite